Era uma vez em Hollywood Girias anos 60

Era Uma Vez… uma gíria dos anos 60

O filme Era Uma Vez em… Hollywood traz de volta uma época turbulenta e fascinante da cultura americana, que deixou suas marcas também no inglês.

Estudar contextos sociais e culturais é parte inevitável e fundamental do seu curso de inglês. Você já deve ter percebido que manter-se atualizado sobre notícias e práticas sociais ligadas ao idioma sempre passa pelo estudo do vocabulário lido e ouvido e consequentemente podemos dizer que é o maior exemplo de como toda língua é viva e se renova constantemente.                                                                                                                          Dirigido por Quentin Tarantino, o longa-metragem Era Uma Vez em… Hollywood (Once Upon a Time… in Hollywood)  se passa em 1969 nos bastidores do cinema americano e podemos presenciar um pouco de como o contexto social influenciou o inglês falado na época. Reunimos algumas  palavras e expressões que exemplificam.

Confira aqui o trailer do filme:

Tanto Hollywood, nos Estados Unidos como  o Ocidente como um todo viviam divididos num embate de gerações que refletia uma série de conflitos visíveis nas grandes cidades americanas, afetadas pela guerra do Vietnã, e europeias.                                                                                                                                                                                                      O inglês praticado pela juventude da época mostra essa distinção com relação aos mais velhos e também como muito de seu vocabulário ficou datado, tornando-se recurso recorrente para reconstituições emblemáticas da cultura americana dos anos 1960, década esta que até hoje influencia o cinema, a música, a moda e o design de produtos, entre outras formas de arte.                                                                                                                É possível que você se lembre de palavras em desuso no seu curso de inglês quando seu professor notar que certos sinônimos já não são mais empregados para uma mesma ideia.

Esse processo é contínuo em qualquer língua e sempre reflete no vocabulário de todas as épocas, como abordamos neste blog, desenvolvido pela languagePRO:

Embora o filme não seja centrado em personagens jovens, elas formam um pano de fundo importante num momento em que  a opinião publica sobre contracultura e o movimento hippie sofria um pesado revés histórico e  portanto Tarantino aproveitou de um jeito muito próprio de seu estilo de produção para retratar estes fatos.

Se você quiser se inteirar de um guia básico de gírias em inglês para Era Uma Vez em… Hollywood e outros filmes contemporâneos dos anos 1960 ou passados nessa época da cultura americana, relacionamos aluns exemplos, quase sempre adjetivos de origem musical:

Cat

Originária no contexto do jazz dos anos 1930, a palavra passou a designar homem num sentido informal, algo como “o cara”. Ex: The cat with the black coat is married to the blonde singer. (O cara com a jaqueta preta é casado com a cantora loira.)

Square

O termo veio do jazz dos anos 1940. Pessoa quadrada (square) ou careta é aquela tradicional, reacionária, oposto de quem protagonizava o movimento de contracultura da época. Ex: Be there or be square. (Esteja lá ou seja um careta.)

The pigs

Também chamada de the fuzzthe heat, a polícia teve trabalho para conter manifestações nos anos 1960, o que gerava animosidade entre parte dos jovens. Dependendo da fonte, pig (porco), pode ser tanto expressão de desprezo quanto referência às mascaras de proteção contra gás lacrimogêneo usadas pelos policiais, que lembravam o focinho do animal. Ex: Look! The pigs are here. (Veja! A policia chegou.)

Mop top

Lembra o corte de cabelo estilo “tigela” dos Beatles no início da carreira da banda? A tradução literal seria “cabeça de esfregão”, referência ao utensílio doméstico para limpar o chão. Desde o século XVIII essa associação já era feita, mas a moda sessentista renovou seu sentido. Ex: He has a mop top haircurt. (Ele usa um cabelo mop top.)

Mellow

Gíria usada pelos hippies, que significa muito relaxado, em paz. Ex: How about having a mellow conversation at the porch after lunch? (Que tal ter uma conversa tranqüila na varanda depois do almoço?)

Righteous

A palavra, que significa justo, certo, era adotada nos anos 1960 como forma de designar algo muito incrível, admirável.  Ex: The anti-war demo was absolutely righteous! (A manifestação anti-guerra foi absolutamente incrível!)

Dig

Ainda que surgida entre a população negra americana no anos 1930, a palavra dig era três décadas depois empregada tanto no sentido de entender, quanto no de gostar. Ex: Can you dig it? (Entendeu?) ou I dig it. (Entendo. / Gosto disso.)

Far out!

“Ótimo! Excelente! Incrível!”… Para elogiar algo que te parecesse fora de série nos anos 1960, essa era outra expressão muito ouvida entre os jovens, geralmente isolada de substantivos ou qualquer outra palavra. A origem era jazzística, dos anos 1940 e 1950.

Hippie

A palavra surgiu nos anos 1950, para desdenhar fãs brancos de jazz que não conheciam tanto quanto imaginavam sobre as inovações do estilo musical. Depois passou a designar uma nova geração do movimento beatnik, surgida em São Francisco e Nova York e seus desdobramentos comportamentais de contracultura. A popularização midiática dessa nova geração na cultura americana, como pelo musical de teatro Hair, fez o termo ser importado sem tradução para o Brasil.

Groovy

Outra palavra que também se usa em música, sinônimo de ritmo. Groovy, portanto, seria rítmico, se traduzido literalmente, mas entre as gírias em inglês significa agradável, legal, bacana, impressionante de maneira positiva. Ex: That song is too groovy to be true. (Aquela música é legal demais para ser verdade.)

E por falar em groovy, você pode ouvir uma das canções mais tipicamente sessentistas, pelo ritmo, pelo espírito jovem e solidário de sua letra e também pela presença dessa gíria. Pouco conhecida no Brasil, ela foi sucesso do verão de 1968 com a dupla folk americana Friend and Lover:

O refrão dizia:

I think it’s so groovy now

That people are finally getting together

I think it’s so wonderful and how!

That people are finally getting together

I think it’s so groovy now

That people are finally getting together

I think it’s so wonderful and how!

That people are finally getting together

Reach out in the darkness

Reach out in the darkness

Reach out in the darkness

And you may find a friend

 

(Acho que é tão legal agora

Que as pessoas estão finalmente se reunindo

Acho tão maravilhoso e como!

Que as pessoas estão finalmente se reunindo

Acho que é tão legal agora

Que as pessoas estão finalmente se reunindo

Acho tão maravilhoso e como!

Que as pessoas estão finalmente se reunindo

Estenda a mão na escuridão

Estenda a mão na escuridão

Estenda a mão na escuridão

E você pode encontrar um amigo)

Você pode saber mais sobre essas e outras gírias em inglês dos anos 1960 aqui:

#english #englishclasses #vocabulary #languagePRO

#inglês #aulasdeinglês #vocabulário #gírias #slangs #anos60 #sixties #hollywood

languagePRO há 30 anos desenvolve cursos de idiomas para empresas e profissionais.                                  Ensinamos inglês, espanhol, francês, alemão, italiano e português para estrangeiros.                                                  Nossa missão é oferecer a nossos clientes uma experiência única de aprendizagem, com cursos personalizados, inovadores e ajustados aos seus interesses; apoiados recursos tecnológicos, total flexibilidade e suporte integral.

    Comments

    1. Avatar for Rosana Palmieri Bélit disse:

      Isso realmente funciona? Eiii ameeeei seu blog 🙂 Muito
      lindo!

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

    × Podemos te ajudar?