Os sons das exceções: as pronúncias mais estranhas do inglês

Não importa quantas regras de fonema você consiga memorizar, sempre vai haver aqueles desvios excepcionais que as justificam enquanto tais

Você certamente não precisou de mais que uma das suas aulas de inglês para perceber o quanto, para brasileiros (mas não só), a língua traz dois grandes desafios, compensados pela gramática de poucas variações.

Primeiramente, um dos desafios  é a grafia das palavras, frequentemente repletas de consoantes e vogais que não são faladas, o que nos leva ao segundo: a pronúncia. Muito embora existam diversos padrões que resolvem a maioria das palavras, uma regra só se justifica quando conta com exceções.

O jornal inglês Independent listou dez dessas palavras em seu portal.

Jornal inglês The Independent deixará de circular em março | Midia e Marketing | G1

Uma forma mais fácil de dominar essas pronúncias é primeiro ficar confortável com os fonemas de suas sílabas.

Antes de nais nada, conforme vai se construindo seu vocabulário pessoal ao longo das suas aulas de inglês, alguns desses padrões, mesmo quando há variações, acabam sendo assimilados. Porém, eles podem deixar você confiante demais diante de palavras que fogem deles. Por exemplo (estando a sílaba tônica em caixa alta):

Breakfast (café da manhã)

Essa é até fácil, de tão usada. Mas leva tempo para assimilar que o “break” se fala “BRÉC” e não “BREIC”, como seria o verbo quebrar em inglês.

Choir (coral de vozes)

Esqueça o som de “ói” geralmente atrelado a esse ditongo, caso de noise ou voice. A palavra se pronuncia “QUAIer”.

Gauge (algum instrumento de medição, como velocímetro)

Em inglês, a junção das vogais “a” e “u” soam como “ó”, caso de launch ou haunt. Não há qualquer padrão que indique que esta exceção se lê “GUÊIdj”

Sew (costurar)

New, few, stew… Sobram exemplos de palavras em que “ew” soa como “iu”. Sew não é uma delas. Ela quase equivale à de alma em inglês: “SOU”.

Vehycle (veículo)

É bem incomum em inglês que a consoante h entre dois sons vocálicos seja muda, em vez de soar como nosso “r”. Neste caso, lê-se “vi Í coul”.

Aisle (corredor)

“S” seguido de “l” costuma soar como tal, a exemplo de slow, slight ou slim. Não nesse caso. São duas sílabas, a primeira tônica. A pronúncia é “ÁI el”.

Measles (sarampo), puzzle

Parece o caso anterior, mas não se engane: dessa vez o “s” gera um som. Mas é o de “z”: MÍzouls. Se a curiosidade surgir, catapora é chicken pox.

Bass (baixo, o instrumento musical)

Pass, class, mass… Todas com a vogal soando como “é”. Bass? Atenção: parecido quando escrito, mas não quando falado. Diga “BEIS”.

Bury (enterrar)

Fácil lembrar de hurry, furry, jury ou fury certo? O “u” que soa como “ã” ou “iu”. Pois bem, não é o caso. Pense nas frutas como o morango: “BÉri”.

iron

Possivelmente, você está lendo mentalmente “aíron”. Não é muito diferente disso, mas comece invertendo o som do “r” e o do “o”. Então ajuste: “ÁI ârn”.

O desafio da pronúncia do th

De antemão, se já é um desafio o som do “th”, com a ponta da língua tocando brevemente a parte de traz dos dentes incisivos da arcada superior, o que dizer dele seguido de “s” sem vogal pronunciada entre os dois sons?

Relaxe, dessa vez você pode se dispensar do malabarismo: trate o “th” como um “t” simples. Pratique com months (MONTS) e clothes (CLOUTS).

O canal Rachel’s English traz alguns exemplos de palavras de origem em outros idiomas (principalmente francês) absorvidas pelo inglês, que causam confusões até nos native speakers, quem tem inglês como primeira língua.

Por exemplo:  corps, cache, cachet e cliche. Vale conferir e levar para suas aulas de inglês:

Os nomes das cidades / estados também seguem a regra de pronúncia diferente

Há também localidades nos EUA com nomes de pronúncia estranha, como os estados americanos de Illinois e Arkansas, de que não se pronuncia o “s” da última sílaba, que é tônica. Diz-se “ilinói” e “arcansá”.

Do mesmo modo, as cidades inglesas de Gloucester e Worcester têm a sílaba “ce” solenemente ignorada. Mas não só. A primeira se pronuncia “glóster” e a segunda “uúster”, esta com um som mais alongado de “u”.

Quer um desafio nível Master de exceções de pronúncia? Então tente ler o texto do link abaixo, um poema adequadamente batizado The chaos, sem cometer equívocos:

Todas essas pronúncias podem ser ouvidas igualmente em dicionários online como o Cambridge, bastante clicar no ícones de alto-falantes ao lado das siglas UK (Reino Unido) e US (Estados Unidos) – para quando houver diferenças entre os dois países:

Baixar Cambridge Dictionaries - Microsoft Store pt-BR

Definitivamente, se existe uma vantagem nas exceções, é que elas se destacam na nossa memória. Você consegue guardá-las com mais facilidade, portanto: Pratique.

 #pronúncia #sílabas #fonemas #exceções #desafios #aulasdeinglês #pronunciation #syllables #phonemes #exceptions #challenges #englishclasses #languagepro

languagePRO há 30 anos desenvolve cursos de idiomas para empresas e profissionais. Ensinamos inglês, espanhol, francês, alemão, italiano e português para estrangeiros. Nossa missão é oferecer a nossos clientes uma experiência única de aprendizagem, com cursos personalizados, inovad

 

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

    × Podemos te ajudar?