A nova geração dos Millenials no pregão

Nova geração no pregão

Millenials não só têm se interessado por ações e investido, como também já deixam as marcas dos efeitos de sua juventude no mercado

Sem dúvida, era questão de tempo. Nascida entre 1981 e 1996, a geração Y, também conhecida como millennials, está cada vez mais presente no mercado de ações. Com a queda livre de 35% no índice S & P / ASX 200 e o lockdown de 2020, ganhou força entre gestores de fundos a ideia de ela estaria investindo pesado em ações vista como nada além de um bando de jovens especuladores a serem punidos pelo próprio mercado na queda seguinte

A rede de fundos globais Calastone descobriu em 2019 como sua pesquisa Millennials and Investing que só 10% dos millennials australianos investiam em fundos, um número modesto. Quando perguntados sobre se pretendiam investir no futuro, 76% dos entrevistados responderam que sim. Fica aqui, antes de tudo, um dado proveitoso para as discussões sobre negócios nas suas aulas de inglês.
Switzer daily-282x219 - Ducere Business School
Aplicativo americano RobinHood

Contudo, o aplicativo de investimento americano RobinHood, de grande apelo entre millennials, tem gerado preocupação desde 2020 nos gestores de fundos ao permitir investimentos fáceis e vantajosos em ações e criptomoedas. Mesmo durante o auge da pandemia de COVID-19, o mercado de ações dos Estados Unidos e da Austrália continuava em alta.

Com a recuperação do mercado a um nível de pouca volatilidade, enquanto o mundo ainda se fechava para tentar conter o vírus, gestores de fundos e investidores menosprezavam os esforços dos millennials no mercado de ações. Presumiu-se que eles buscavam meios de adquirir uma moradia própria, mas apesar de alguns investimentos furados que parte deles de fato fez, ficou claro que eles encaravam o desafio como um meio de construir riqueza. Porém, a maioria acertou em seus investimentos.

Tecnologia

Até bastante previsivelmente, muitos millennials que se aventuraram como investidores decidiram comprar ações de empresas de tecnologia. A alta desse tipo de ação chegou a alcançar uma alta média de 62% na Austrália. Empresas de tecnologia locais comparáveis às americanas Google, Facebook, Amazon, Apple dão a medida desse retorno. A Wisetech viu um aumento de 137%, a Afterpay de 174%, a Z1P subiu 80% e a Xero 77,8% em suas ações.

Ao mesmo tempo, diversificar investimentos entre essas empresas continua sendo uma boa estratégia para se reduzir riscos. De qualquer forma, em termos de índice S&P 500, o mercado australiano está cerca de 5% acima de onde se encontrava antes da crise de 2020, um número bem modesto. Já nos Estados Unidos esse aumento foi de 34%. Não dá para dizer, portanto, que os millennials estejam desavisados ou brincando descompromissadamente.

Tendências

Já dizia o megainvestidor Warren Buffett: “Tenha medo quando os outros são gananciosos e seja ganancioso quando os outros estão com medo”. Tudo indica que, nesse sentido, os millennials aprenderam bem o segundo conselho de Buffett. Pois bem, nos Estados Unidos as apostas dessa nova geração têm se concentrado em empresas de veículos elétricos e vacinas, além de outros segmentos de tecnologia de ponta. Verdade seja dita, outras gerações têm investido de forma parecida.

 

Também não chega a surpreender que parte desses jovens investidores registre suas conquistas nas redes sociais. Há aqueles que exibem o que seu dinheiro recém-acumulado foi capaz de comprar em termos de status, mas há que siga uma rotina discreta e modesta como estilo de vida, desmistificando essa escolha profissional. É o caso da dona do canal Humbled Trader (investidora modesta, assim identificada), de Vancouver, Canadá. Seu dia começa às 4:00 horas, o que equivale às 7:00 horas do fuso do mercado (na costa leste americana).

Por fim, como em toda profissão, para se entender bem as conversas sobre o mercado financeiro, os jargões podem limitar sua compreensão quando você não participa daquele universo. Para evitar isso, vale conferir alguns verbos e expressões usados com frequência no mercado de ações, como um complemento às suas aulas de inglês.

Se não for para investir da mesma forma, ao menos vale acompanhar as tendências de mercado impulsionadas pelos millennials para prever onde as ações poderão provavelmente render mais.

languagePRO há 31 anos desenvolve cursos de idiomas para empresas e profissionais. Ensinamos inglês, espanhol, francês, alemão, italiano e português para estrangeiros. Nossa missão é oferecer a nossos clientes uma experiência única de aprendizagem, com cursos personalizados, inovadores e ajustados aos seus interesses; apoiados recursos tecnológicos, total flexibilidade e suporte integral,

#millennials #mercado #mercadodeações #investimentos #tecnologia #austrália #estadosunidos #aulasdeinglês #market #stockmarket #investments #technology #australia #unitedstates #englishclasses #languagepro

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

    × Podemos te ajudar?